Thursday, April 26, 2012

Esse lugar...

A fala é um lugar.
As coisas estão lá onde ela acontece. Expostas, mas nem sempre encontradas.
É incrível a quantidade de coisas que as pessoas falam e que não encontram.
É como andar por Roma e ver só o que é Coliseo ou Vaticano...
Perder todo o resto.
... É um lugar onde tudo é história, onde gerações se desvelam, onde cidades se escondem.

Passeando por falas alheias vi o curioso do óbvio obducto.
Encontrei Caravaggio dentro de uma igreja francesa escondida num beco no coração de Roma. O que é um lugar fácil de se encontrar quando se é estrangeiro em busca de novidade.

Mas a poucos pude mostrá-la.
Como tal igreja, sempre mais fácil de ser vista por estrangeiros do que pelos self- absorved moradores locais, há lugares, na cartografia da nossa fala, onde nunca nos encontramos.


" Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho"
(ICo 13:12)

Arrivederci.

Friday, April 20, 2012

Grandes dimensões em pequenos recortes...

Ando ouvindo coisas estranhas.
Ando lendo-as também.
Às vezes, quero vir correndo escrever e comentar esse estranhamento,mas na maioria delas perco o ânimo.

O estranhar quando ganha dimensões muito amplas sufoca. Cria-se a sensação de que não vale mais à pena falar de nada disso.
Do cotidiano de proporções absurdas.
É a manipulação das noticias...
É a realidade dos hospitais...
São as pessoas.
- Meu Deus, as pessoas!

Como é profundo esse mistério que nos une e divide. Que nos faz seres da mesma espécie sendo assim tão diferentes. Particularmente, socialmente, culturalmente cristãmente, linguisticamente, ocidentalmente, territorialmente... Brasileiramente, cariocamente.
O recorte não precisa ser macro, basta ser vizinho.

A pergunta que fica é:
Há um?

...

"eu não sou eu nem sou o outro
sou qualquer coisa de intermédio
Pilar da ponte de tédio
que vai de mim para o outro"

Mario de Sá carneiro
 

Arrivederci.