Monday, October 3, 2011

Estrangeiros... Estrangeira.

"Aqueles que permitem as transgressões da alma com certeza são vistos e recebidos pelos outros como estrangeiros. Os que mudam de emprego radicalmente, os que refazem relações amorosas, os que abandonam vícios, os que perdem medos, os que libertam e os que rompem experimentam a solidão que só pode ser quebrada por outro que conheça essas experiências." (Nilton Bonder - A Alma imoral)


Para se reconhecer estrangeira em momentos, foi necessário ter sido estrangeira na vida.
Só quem já foi forasteiro, ilegal, marginal no espaço geográfico e experimentou todas essas coisas descritas acima, no mundo interno tanto quanto no externo, sabe, na alma, do que se trata o ser estrangeiro...

É verdade que essa solidão só é quebrada quando se encontra um outro que conhece essas experiências, ainda que elas sejam de natureza totalmente diferente...
Um "Conterrâneo de Alma".

Um estrangeiro reconhece outro.
Um transgressor reconhece outro...

O que me lança em um novo lugar de estranhamento, hoje, é perceber que... o quão amplo é esse deserto...

Estou estrangeira no momento, na vida e em todas as minhas circunstâncias.
(Me pergunto: Foi sempre assim?...)
Rompi com tudo que o mundo quer de mim, rompi com a ordem 'natural' das coisas...
Escolhi nadar contra a corrente...
(Só pra exercitar?...)

E fiquei só.

Mas como já disse por aqui: Meus olhos guardam o infinito.
(Foi sempre assim)
Tudo é possível ao que crê e enquanto eu me mantiver fiel a isso que em mim ousa a transgressão sempre que ela se faz necessária, mares irão se abrir diante dos meus olhos, como sempre fizeram em minha vida.

"D'us é companheiro constante do estrangeiro e daquele que segue seu caminho 
por mais que este divirja do consenso moral de uma comunidade"
(idem)


Eu saúdo,(Parafraseando, ainda, o Barão Vermelho:)
Aos que estão aqui para qualquer viagem
e que não ficarão esperando a vida passar tão rápido.
Pois a felicidade, é um estado imaginário.
(- Construímos!)

"Pense, dance, pense, pense e dance"....

Arrivederci.